quinta-feira, 25 de dezembro de 2014



Olá todos!

Na aula de Espanhol, a Cátia e as amigas escreveram algumas mensagens de Natal. Espreitem aqui!

video




Professora: 
Marta Roque

Interprete de LGP: 
Maria João Gomes

Alunas:
Eduarda Possante
Márcia Pedroso
Cátia Caetano
Alice Rabaça


http://www.remax.pt/portalegre  

terça-feira, 23 de dezembro de 2014


Nas aulas de Apoio e de Língua Gestual Portuguesa alguns dos nossos meninos do 3ºciclo e do ensino Secundário prepararam uns poemas de Natal para vos apresentarem! 

Os poemas são lidos em Língua Portuguesa e declamados em Língua Gestual Portuguesa.

Esperamos que gostem!



Alunos:
Catarina Nunes
Irene Gomes
Alice Rabaça
João Cordeiro
Diana Rus
Eduarda Possante
Cátia Caetano

Professores:
Carla Louro e André Maia

Intérpretes:
Maria João Gomes
Adriana Campos
Séfora Silva
Cláudia Pedreira

http://www.remax.pt/portalegre  

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014


A Convenção Internacional dos Direitos das Crianças diz que “uma criança deve viver num ambiente familiar, num clima de felicidade, amor e compreensão, para que seja possível realizar, na sua plenitude, todos os seus direitos.”

Mundos de Vida é uma instituição que tem como missão afirmar os direitos das crianças e responder às suas necessidades, bem como às necessidades das pessoas seniores e das suas famílias. 

Esta Instituição criou a Missão Pijama para através dela sensibilizar cada um de nós para a necessidade de tornar real o direito fundamental das crianças de ter uma família e de se desenvolverem num ambiente de amor, de respeito e de compreensão. 

A celebração do Dia Nacional do Pijama, o qual se celebra no dia 20 de novembro, dá visibilidade a esta causa. Neste dia “AS CRIANÇAS AJUDAM OUTRAS CRIANÇAS”.

Foi seguindo esta justa Missão que a Escola Básica de 1º Ciclo da Praceta celebrou o Dia Nacional do Pijama. 

E claro que os alunos da turma de 1ºCiclo de Ensino Bilingue para Alunos Surdos participaram, conjuntamente com todos os seus colegas de 1º Ciclo da EB1 da Praceta, na festa do Dia Nacional do Pijama.


Preparação do Dia Nacional do Pijama

A Missão Pijama enviou para cada turma um livro de histórias e folhetos informativos para as famílias e professores.

Assim…

Pedimos dinheiro aos nossos pais e aos nossos familiares e guardámos esse dinheiro nas nossas casinhas – mealheiro.

E a nossa Professora de Língua Gestual leu para nós a história do Menino Que Não Sabia Brincar”



No Dia Nacional do Pijama
Os nossos sentimentos

Na 5ª feira, dia 20 de novembro viemos para a escola de pijama. Todos os meninos do 1º Ciclo vieram vestidos de pijama. (disseram todos)

Quando vi os outros meninos vestidos de pijama, achei muito engraçado. (Nuno)

Quando chegámos à escola vestidas de pijama, sentimos vergonha. (Teresa e Ana)

Nós não sentimos vergonha nenhuma, nada, nada. (Nuno e Miguel)

Na hora do intervalo todos os meninos vieram para o pátio para cantar o Hino da Missão Pijama. Todos os meninos estavam muito contentes. A letra e a música do Hino da Missão Pijama foram escritas pelo cantor dos óculos escuros, o Pedro Abrunhosa. (todos)




A seguir ao intervalo, o professor Matias veio às salas de aula buscar o dinheiro que nós tínhamos guardado nas nossas casinhas-mealheiro.

Cada um de nós pôs o seu dinheiro dentro de um saco e o professor Matias levou o dinheiro para o entregar aos meninos pobres que não têm família. (todos)

Ficámos muito contentes, porque demos o nosso dinheiro a esses meninos! – disseram todos com os olhos a brilhar e a boca rasgada num sorriso quentinho vindo do coração.


Alunos:
Nuno Rainho
Teresa Marques
Ana Guterres
Miguel Lopes

Professora Titular:
Leonor Parra


Professora de LGP:
Sandra Santos


http://www.remax.pt/portalegre  

terça-feira, 16 de dezembro de 2014



No passado dia 10 de dezembro fizemos uma festa de natal para os nossos professores, pais e amigos.

Podem dar uma olhadela no video e descobrir o que se passou!




http://www.remax.pt/portalegre  

domingo, 14 de dezembro de 2014


A Inês era a nossa Terapeuta da Fala. Já estava connosco há 4 anos e todos gostávamos muito dela. Mas, este ano, tal como a Mariana, conseguiu um lugarzinho perto da casinha dela!

E pronto! Lá perdemos mais uma das nossas técnicas!

Na aula de Tic, o João, a Irene e a Diana preparam uma surpresa para a Inês!




Professora de Tic: 
Laura Chagas

Intérprete de LGP:
 Maria João Gomes

Alunos: 
Diana Rus
João Cordeiro
Irene Gomes

http://www.remax.pt/portalegre  

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014



Os psicopedagogos dizem-nos que o ler e o assistir ao conto de histórias estimula a imaginação, desperta a curiosidade e o prazer da leitura e ajudar no desenvolvimento da linguagem.

Assim …

No dia 14 de novembro os nossos meninos do 1ºciclo e o Rodrigo e a Irene do 7ºF foram de autocarro à Biblioteca Municipal de Portalegre com as professoras Leonor Parra, Sandra Santos e a intérprete Cláudia Pedreira.

Iam muito entusiasmados porque uma história esperava por eles!


Vejam como vamos felizes!
Eu gosto de andar de autocarro, porque ele “balança” muito, por causa das pedras do chão. (Nuno)

Enquanto estávamos à espera do senhor que conta as histórias, brincámos, na sala das crianças, com a tartaruga, o caranguejo e o sapo que eram muito grandes e estavam estendidos no chão. (disseram todos). 

A Irene lia revistas. (Nuno). Nós também lemos livros e revistas. (Miguel)


A história
"Nós fomos assistir ao conto da história da Carochinha e do João Ratão. Nós não conhecíamos aquela história." (Ana)

"A Carochinha é um sino e tem uma vassoura pequenina e o gato tinha muitos sininhos. "(Miguel)

"A Carochinha andava a varrer a casa e encontrou uma moeda." (Nuno)

"Com a moeda, ela foi comprar um laço para pôr no pescoço." (Teresa)

"Depois pôs-se à Janela a perguntar quem queria casar com a Carochinha, apareceu uma vaca. "(Nuno)

A Carochinha perguntou à vaca como fazia à noite, o que é que ela fazia à noite. A vaca respondeu que à noite fazia Muuu! A Carochinha não casou com a vaca, porque ela fazia muito barulho, à noite. Depois apareceu o cão, o galo e o gato, mas todos faziam muito barulho, à noite. 

A seguir apareceu um rato e a Carochinha perguntou-lhe o que fazia ele à noite e o rato respondeu que não fazia nada, à noite ficava calado. A Carochinha disse logo que queria casar com o rato, porque ele não fazia barulho, à noite.
A Carochinha casou com o João Ratão e foram felizes para sempre. (todos)

A Carochinha gostava do rato. (Nuno)

Depois da história…

Quando a história acabou, nós viemos para outra sala e …

"O Senhor que contou a história deu a cada um de nós um quadrado de cartolina preta e pediu para desenharmos um coração." (Nuno). "Depois pediu para recortarmos o coração." (Teresa)


Depois o senhor pediu para nós dobrarmos os nossos “corações” ao meio e o senhor colou um “rabo” de rato nos corações. Os corações são ratos!


"A seguir, desenhámos e cortámos outro coração mais pequeno." (Ana)

Em seguida, desenhámos os olhos do rato, dobrámos o coração mais pequeno ao meio e colámo-lo na cabeça do rato. O coração mais pequeno era as orelhas do rato.
A desenhar os olhos do rato
"O senhor colou o nariz e os bigodes do rato. Os narizes dos nossos ratos são bolinhas de plasticina. Em seguida, o senhor que contou a história pediu para fazermos desenhos no corpo dos nossos ratos para eles ficarem ainda mais bonitos. E assim os nossos ratos ficaram prontos." (todos)

Vejam como ficaram bonitos os nossos ratinhos.


Gostámos muito de tudo, gostámos de andar de autocarro, gostámos da história e gostámos dos ratos que fizemos. Ficámos felizes (disseram todos).

A atividade de contar histórias estimula, só por si, a imaginação, mas a atividade que foi desenvolvida na Biblioteca Municipal estimulou-a duplamente, uma vez que o contador não utilizou as imagens tradicionais das personagens da história, mas sim outras muito diferentes, tal como se pode observar através das fotos retiradas ao longo da sessão. 

Este facto fez com que os alunos estimulassem ainda mais a sua imaginação e a sua curiosidade. Foi muito interessante. (Leonor)



Alunos:
 Ana Guterres
 Teresa Marques
 Nuno Rainho
 Miguel Lopes

Professora titular: 
Leonor Parra


Professora de LGP: 
Sandra Santos


http://www.remax.pt/portalegre  

domingo, 7 de dezembro de 2014



A nossa intérprete Séfora fez anos na passada quinta-feira! Levou um bolinho e uns sumos e fizemos uma festa no intervalo da manhã.




http://www.remax.pt/portalegre   

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014


No contexto da aula de Geografia, no tema Novas Oportunidades para as áreas rurais, a professora Lurdes Almeida solicitado à nossa Eduarda a realização de um powerpoint sobre uma unidade de turismo em Espaço Rural do concelho de Portalegre.

Foi selecionada a Quinta da Dourada. Na Aula de Geografia, a Eduarda apresentou os diapositivos a alguns colegas de outras turmas de surdos que estavam no intervalo.



Professora: Lurdes Almeida
Aluna: Eduarda Possante


http://www.remax.pt/portalegre  

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014



Nas aulas de Ciências Naturais estudámos as rochas e fizemos um trabalho sobre os diferentes tipos de rochas.


Existem três tipos de rochas: rochas magmáticas, rochas sedimentares e rochas metamórficas.
Nas rochas magmáticas estudamos o granito (plutónica) e o basalto (vulcânica).


Nas rochas sedimentares estudámos o arenito (detrítica), o calcário (quimiogénica) e o carvão (biogénica).


 As  rochas metamórficas falamos do xisto e do mármore.


Este foi o resultado final do nosso trabalho:


Professora: Teresa Azevedo
Intérprete de LGP: Maria João Gomes

Alunas: 
Alice Rabaça
Márcia Pedroso



http://www.remax.pt/portalegre  

sexta-feira, 28 de novembro de 2014



No dia 30 de outubro assisti a uma sessão sobre a Pré-História, dirigida pelo Arqueólogo Pedro Cura, que trabalha no Museu de Arte Pré-Histórica de Mação.

Este arqueólogo falou sobre os períodos: paleolítico e neolítico (pedra antiga e pedra nova). Explicou o que existia na Pré-História tanto a nível de materiais como a nível do desenvolvimento das espécies.

Começámos a ver os materiais que o arqueólogo trouxe, como por exemplo, os materiais de caça, as peles dos animais, as sementes e as pedras que usavam para raspar, cortar e partir os objetos.

O arqueólogo mostrou como se fazia fogo com dois objetos de madeira. Depois o senhor Pedro chamou-me para fazer uma gravura da minha mão. Utilizou uma tinta feita com ovo, óxido de ferro (cor vermelha) e água.

Gostei muito de ver todos estes objetos e aprender coisas novas sobre este tema.

   


Intérprete de LGP: Séfora Silva
Aluna: Catarina Nunes


http://www.remax.pt/portalegre  

terça-feira, 25 de novembro de 2014



No dia 15 de novembro de 1997, a Assembleia da República Portuguesa aprovou a Língua Gestual Portuguesa como Língua oficial da comunidade surda portuguesa. 

A Língua Gestual Portuguesa é assim uma das línguas oficiais de Portugal a par da Língua Portuguesa e do Mirandês. A Língua Gestual Portuguesa está consagrada na Constituição da República Portuguesa no artigo 74, alínea H, ponto 2.

Celebrámos o Dia da Língua Gestual Portuguesa (LGP) na segunda-feira, dia 17 de novembro, uma vez que o dia 15 de novembro foi no sábado e no sábado não há aulas, porque estamos todos a descansar do muito trabalho que temos sempre durante toda a semana.

A professora Sandra Santos fez um poema para ser dito em LGP e ensinou-nos esse poema. Nós fomos dizer esse poema às turmas. 

Nas turmas entregámos um marcador de livros com o nome de cada um dos alunos da turma escrito com o alfabeto gestual e entregámos às respetivas professoras das turmas o poema da professora Sandra. Foi uma prendinha que fizemos com muita alegria para dar aos nossos colegas e às suas professoras.

Fomos entregar as nossas prendinhas e recitar o nosso poema…

   

Também entregámos e recitámos o poema para…



Voltámos depois para a nossa sala de aula cansados das emoções vividas, mas felizes.

E já agora publicamos um video com o nosso poema!


E para terminar deixamos um pensamento da nossa Emmanuelle Laborit, uma escritora e atriz surda francesa, que diz no seu livro "O Grito da Gaivota": 

"A gaivota cresceu e voa com suas próprias asas. Olho do mesmo modo como que poderia escutar. Meus olhos são meus ouvidos. Escrevo do mesmo modo que me exprimo por sinais. Minhas mãos são bilíngues. Ofereço-lhes minha diferença. Meu coração não é surdo a nada neste duplo mundo..."


O grito da gaivota
Emmanuelle Laborit



Alunos:
Nuno Rainho
Teresa Marques
Miguel Lopes
Ana Guterres

Professora Titular:
Leonor Parra

Professora de LGP:
Sandra Santos


http://www.remax.pt/portalegre  

sábado, 22 de novembro de 2014

No dia catorze de novembro a Professora Joaquina Caeiro convidou todos os surdos para uma apresentação sobre canetas antigas e sobre a escrita. 

Fomos todos para a biblioteca com a Professora Carla e a intérprete Séfora Silva.


A Professora Joaquina falou sobre como se escrevia antigamente. Ela disse que primeiro se começou a escrever com penas de animais como a coruja, o falcão, o peru, a águia, o cisne e os patos. Os animais estavam vivos quando tiravam as penas. As penas duravam apenas uma semana e precisavam de ser tratadas antes de serem usadas. Eram afiadas com uma faca especial. E o bico era cortado. Antes de escrever punha-se a ponta da pena mergulhando na tinta.

No final do século XVIII, as penas de aves foram substituídas por penas de metal, com corpo de madeira. Foi muito curioso saber como eram as canetas!

Nós experimentámos todos a escrever também e foi uma experiência gira!

Instrumentos de escrita
O João não quis escrever com pena porque ficou todo arrepiado mas escreveu depois com caneta de tinta permanente!

A seguir, fomos ver uma exposição de canetas. Algumas canetas eram grandes, outras pequenas e havia canetas de muitas cores. Eram muitas. E giras!



Texto: 
Eduarda Possante


http://www.remax.pt/portalegre